quinta-feira, 21 de julho de 2016


O que é adicção?



Adicção é o vício, e geralmente está relacionado com drogas ilícitas. Mas a adicção pode também significar qualquer dependência psicológica ou compulsão tipo jogo (bingo, pôquer, etc), comida, sexo, pornografia, computadores, internet, vídeo games, notícias, exercício, trabalho, TV, compras e etc.Uma pessoa que é viciada não consegue controlar seu desejo por álcool ou drogas, mesmo que sinta efeitos negativos pra saúde, problemas com família e amigos, ou problemas com a polícia.A adicção a drogas é considerada uma doença como outra qualquer. É uma doença crônica, ou seja, afeta a pessoa ao longo prazo, ou acontece várias vezes. Ela acontece pois a pessoa procura uma recompensa ou um alívio pelo uso da substância.A adicção é caracterizada pela dificuldade em controlar o comportamento, presença de fissura ou desejos, dificuldade de ficar sem a droga (abstinência), e falta de noção dos problemas causados pela droga.O cérebro de um viciado fica modificado pela droga de tal forma que a ausência da droga causa um sinal ao cérebro que é semelhante ao sinal de quando se está com fome. É como se a pessoa estivesse num estado de necessidade, e usar a droga seria indispensável para a sobrevivência.Como em outras doenças crônicas a adicção pode acontecer em ciclos, com controle e recaídas. Sem tratamento ou sem compromisso em atividades de recuperação, a adicção é progressiva e pode resultar em invalidez ou morte.Se não for tratada, com o tempo doença pode se tornar mais forte, mais difícil de se tratar, e os problemas de saúde ficam piores, como problemas mentais e doenças nos órgãos.Os sintomas da adicção incluem tolerância, ou seja, o desenvolvimento de resistência aos efeitos da droga com o tempo. Acontece também a fissura, que é um estado físico desagradável quando a pessoa não está usando.A medida que a doença se agrava, o adicto precisa de uma maior quantidade da substância, seja ela álcool ou droga. Ele passa a usar com mais freqüência, e se vê usando em situações em que eles nunca imaginaria antes.


Como surge a adicção?

As pessoas geralmente experimentam drogas ou outros comportamentos potencialmente viciantes porque eles estão buscando algum tipo de benefício ou recompensa. Elas usam drogas na esperança de conseguir os efeitos físicos desejados. As drogas têm um efeito no corpo e na mente, e se não tivesse efeito as pessoas não repetiriam e experiência. Ninguém começa apenas para ficar viciado.


Geralmente acontece assim:
A drogas geralmente altera como a pessoa se sente, e faz ela se sentir melhor, relaxada, mais poderosa, excitada, a faz escapar da realidade e etc. Por isso, ela tende a repetir a dose.
Às vezes a pessoa usa a droga para escapar de problemas reais, e como a droga a faz se sentir bem, ela encara a droga como a solução dos problemas. Mas na verdade o problema continua existindo.
Algumas vezes a atração vêm porque a droga faz a pessoa se identificar com algum grupo social – elas podem experimentar drogas porque pensam que vão ganhar aceitação numa turma ou que vão se tornar os rebeldes ou os mais festeiros.
Entretanto, estas experiências encobrem uma atração forte. O que pode começar como uma brincadeira casual, comportamento social normal ou mesmo uma prescrição médica, pode se tornar um comportamento repetitivo, mais freqüente e com maiores quantidades.
Pode acontecer de uma pessoa se viciar através do condicionamento. Muitas pessoas que usam drogas passam a pensar que não conseguem fazer alguma coisa sem a droga, por exemplo ir a uma festa, uma boate, etc. Com isso a química do cérebro começa a se adaptar à presença da substância, necessitando cada vez mais para dar o mesmo barato ou para evitar os desconfortos da falta da droga. Este comportamento passa a ter vida própria e o corpo fica dependente fisicamente da droga.
Geralmente, na iniciação (a primeira vez), a pessoa usa para experimentar, pra ver como é a substância. Aí a pessoa pode resolver usar outra vez, e talvez começar a usar ocasionalmente, e depois usar freqüentemente. Enquanto isto, a quantidade consumida pode também aumentar.
  • Uma pessoa usa drogas de abuso, como maconha, cocaína ou mesmo álcool, ativando os mesmos circuitos cerebrais das atividades de sobrevivência, como comer ou fazer sexo. A droga causa um aumento da quantidade da substância dopamina, a qual produz os sentimentos de prazer. O cérebro se lembra deste prazer e quer que ele repita.
  • Assim como comida está ligada com a sobrevivência no dia-a-dia, as drogas começam a ter o mesmo significado para o adicto. A necessidade de obter e usar drogas começa a ser mais importante do que qualquer outra necessidade, incluindo atividades realmente vitais tipo comer. O adicto passa a procurar a droga não apenas para prazer, mas para aliviar o sofrimento.
  • No fim das contas, o impulso para procurar e usar drogas é tudo que importa, apesar das conseqüências devastadoras.
  • Por fim, o controle, as escolhas e tudo o que antes tinha valor na vida da pessoa, como família, emprego, comunidade, pode estar perdido para a doença da adicção.
A adicção pode desenvolver em pessoas apesar de suas melhores intenções ou do melhor caráter.Vício em drogas é traiçoeiro porque afeta o cérebro bem nas áreas que as pessoas precisam para “pensar direito”, usar bom julgamento e fazer boas decisões para suas vidas. Ninguém quer crescer para virar um viciado em drogas, afinal de contas.
Mas algumas pessoas podem experimentar e não ficarem viciadas, e já outras ficam viciadas rapidamente. Por que?
  • Genética: Os genes têm um papel principal, quem tem pais com alcoolismo possuem chances quatro vezes maiores de ficarem alcoólatras, e isto pode valer para os outros vícios também. Mais de 60% dos alcoólatras têm família com histórico de alcoolismo.

  • Saúde mental: Muitas pessoas adictas também sofrem de problemas de saúde mental, especialmente ansiedade, depressão ou outras doenças do estado emocional.
  • Uso de drogas quando se é novo: Quanto mais cedo uma pessoa usar drogas, maiores as chances de progredir para o vício. 40% das pessoas que começam a beber antes dos 15 anos de idade se tornam alcoólatras.
  • Ambiente social: Pessoas que vivem, trabalham ou vão à escola em um local onde o uso de álcool ou outras drogas é comum, são mais propensas a abusar das drogas. Por exemplo, se alguém anda junto com pessoas que usam drogas freqüentemente, suas chances de tornar um adicto aumentam.
  • Traumas de infância: Cientistas provaram que crianças abusadas ou rejeitadas, conflitos de família persistentes ou outras experiências traumáticas de infância podem moldar a química do cérebro da criança e conseqüentemente deixar a pessoa vulnerável à adicção.
Recaídas

As recaídas podem acontecer devido a algum dos seguintes fatores:
  • Algum lembrete relacionado à droga, como imagens, sons, cheiros, pensamentos ou sonhos que lembrem a droga ou seu uso.
  • Depressão, estresse.
  • Estados emocionais positivos ou comemorações
  • Amostras das drogas em si, mesmo pequenas quantidades.



Pessoas se recuperando de adicção podem sofrer uma falta de controle e voltar a usar a substância durante o processo de recuperação, chamada “recaída”. Este vacilo é comum entre as pessoas com distúrbios crônicos. A recaída é uma das coisas mais intrigantes da adicção. Diversas pessoas que querem parar de usar substâncias viciantes sofrem demais, e as recaídas podem ser bem desanimadoras. Algumas pessoas dizem que é horrível, que se sentem culpadas quando têm uma recaída, e ficam deprimidas porque avacalharam com o processo.



Estes e outros fatores podem disparar a motivação para procurar a droga, e este sentimento pode ser muito forte e sobrepor a decisão de parar, mesmo que o usuário saiba das conseqüências desastrosas de usar a droga.

Parar ou seguir

Quando estamos dirigindo com pressa e vemos um sinal vermelho numa avenida movimentada, paramos pois sabemos dos riscos que furar o sinal pode trazer, além da multa que podemos receber. Nós conseguimos avaliar as vantagens ou prejuízos se paramos ou seguimos, e tomamos a decisão certa. Mas para uma pessoa viciada, esta relação entre parar ou seguir está alterada. A adicção altera o julgamento que a pessoas têm das situações relacionadas à droga. Por exemplo, quando o adicto recebe um estímulo para usar droga, ele não consegue avaliar direito as consequências negativas do uso, mesmo que saiba muito bem o que acontece, como problemas financeiros, de família ou de saúde. Mas o estímulo para usar a droga, apesar de ser uma coisa simples, pode acabar sendo mais forte e fazendo a pessoa usar a droga. Para evitar o consumo de drogas é preciso aprender a vencer estes estímulos.